Inicial / Notícias SESI/SENAI / SENAI ajudou a aumentar a produtividade da indústria ao longo de 77 anos de história
SENAI ajudou a aumentar a produtividade da indústria ao longo de 77 anos de história

SENAI ajudou a aumentar a produtividade da indústria ao longo de 77 anos de história

Além de qualificação profissional, instituição oferece serviços técnicos, tecnológicos e de inovação que tornam as empresas mais produtivas; programa Indústria Mais Eficiente, por exemplo, leva empresas a economizar energia

A gaúcha Metalsinos, fabricante de peças de metal, conseguiu reduzir em 56% seu consumo de energia elétrica, com economia mensal de R$ 50 mil apenas com essa despesa, graças a consultoria prestada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Os benefícios à empresa localizada em Ararica, região metropolitana de Porto Alegre, fazem parte dos primeiros resultados do Indústria Mais Eficiente, um dos programas realizados pela instituição ao longo dos seus 77 anos de história que ajudam a indústria brasileira a ser mais produtiva.

As 48 empresas participantes do piloto do programa, executado em 2018 no âmbito do Brasil Mais Produtivo, alcançaram redução média de 26,4% no consumo energético, sem necessidade de novos investimentos, o que se traduz em economia média de R$ 47,9 mil.

“O resultado da consultoria do SENAI foi excelente e veio a calhar em um momento de recessão, em que a empresa buscava melhorias na parte fabril. Os aumentos da despesa com energia estavam impactando de forma importante o custo operacional”, conta Ariberto Wagener, diretor industrial da Metalsinos. A empresa de 300 funcionários já havia obtido ganho de 60% em produtividade com ajuda de outra consultoria do SENAI em manufatura enxuta, ou lean manufacturing, técnica de redução de desperdícios.

Wagener, aos 53 anos, conhece bem o trabalho do SENAI. “Sou fã incondicional do SENAI. Devo meu conhecimento, minha capacidade de aprendizagem, meu interesse pela mecânica ao SENAI”, diz ele, que fez o curso técnico em Mecânica na instituição aos 15 anos, nos anos de 1980, e hoje faz questão de contratar ex-alunos. “Hoje, quando a gente procura um profissional, o aluno do SENAI se destaca do restante porque vem com uma bagagem, um cuidado especial com máquinas e ferramentas, o que, no mercado, são poucos os cursos e empresas que ensinam isso para nossos jovens”, explica.

REFERÊNCIA MUNDIAL – Criado em 22 de janeiro de 1942, o SENAI é o maior complexo de educação profissional e serviços tecnológicos da América Latina. Realizou mais de 75 milhões de matrículas ao longo de sua história. Atualmente, por meio de 545 unidades fixas e 450 móveis, atende a mais de 2.700 municípios brasileiros. Além de ser referência mundial na qualificação dos trabalhadores, a instituição tem se destacado na oferta de serviços às empresas por meio da sua rede de 26 Institutos de Inovação e de 58 Institutos de Tecnologia. Apenas entre janeiro e novembro do ano passado, foram prestados 79.901 serviços técnicos e de inovação.

As consultorias prestadas no âmbito do Brasil Mais Produtivo, por exemplo, são parte do amplo portfólio dos Institutos SENAI de Tecnologia. Com corpo técnico de cerca de 1.200 especialistas, a rede presta consultorias buscando melhorar a qualidade de produtos e serviços, a produtividade e a competitividade dos negócios. Na primeira fase do programa do governo federal, a consultoria conseguiu elevar em 52%, em média, a produtividade das 3 mil indústrias participantes.

Os Institutos de Tecnologia também realizam serviços técnicos especializados, como de inspeção veicular e serviços operacionais voltados à implantação e melhoria de processos produtivos e melhoramento de produtos. Com 67 laboratórios credenciados, o SENAI possui a maior rede de laboratórios acreditados pelo Inmetro, que realiza testes por meio dos quais se comprova que os produtos estão em conformidade com as normas e os padrões estabelecidos por organismos especializados.

INOVAÇÃO – Desde 2013, o SENAI também implanta a maior rede institucional de pesquisa, desenvolvimento e inovação do país. Os Institutos de Inovação identificam e se organizam para trabalhar em projetos que respondem a desafios globais, como mobilidade, saúde, energia, cidades inteligentes, etc. A rede está sintonizada com os interesses mais estratégicos da sociedade e da indústria brasileiras. Soluções voltadas à indústria do futuro, a chamada Indústria 4.0, são especialidades da rede nacional estruturada pelo SENAI.

Dos 26 Institutos SENAI de Inovação espalhados estrategicamente ao longo do país, 24 já estão em operação e 11 são unidades Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial). Os centros de P&D contam com 626 projetos em carteira, totalizando mais de R$ 706 milhões, dos quais 325 já foram concluídos. A rede conta com uma equipe de 630 profissionais das mais diversas áreas de atuação, dos quais 237 são mestres ou doutores.

Os institutos atuam de forma transversal e complementar e, atualmente, 61% de seus projetos são colaborativos – entre os institutos da rede e com as maiores universidades brasileiras. Um terço dos projetos desenvolvidos são de impacto global e 39%, realizados em parceria com pequenas empresas e startups. A maior parte do trabalho resulta em novos produtos (56%) e gera impacto de âmbito nacional (64%).

Da Agência CNI de Notícias

 

Sobre GCOM